Blog sobre relacionamentos, corte e lifestyle cristão.
 
 

relacionamento

Empreendedorismo | O Poder do Network!

network

Uma pergunta que causa medo nos iniciantes no mercado de trabalho e têm assolado profissionais com anos de experiência é: “Preciso de um emprego, por onde começar?”

Sabemos que uma das crises que afetou o país foi a crise do desemprego. Confesso que nunca tive tantos conhecidos desempregados como nos últimos anos. Até eu vivi pela primeira vez a experiência de ser “desempregada.”

O que percebi de comum em todos os desempregados dessa geração é que muitos não sabem por onde começar a procurar um emprego. São muitas as opções tecnológicas disponíveis para quem deseja uma vaga no mercado de trabalho, contudo o monstro dos requisitos necessários para uma vaga é assustador.  Para aqueles que estão começando, a inexperiência é o bloqueio. Já para os mais experientes parece que a lista de qualificações exigidas para a mesma tarefa que realizou durante anos cresceu um bocado.

É fato que existem muitas ofertas de trabalho, no entanto as empresas respondem dizendo que não existem profissionais qualificados para elas. Mas será que esses profissionais realmente não são qualificados? Ou eles não têm oportunidades de provarem essa tal qualificação?

Ainda sobre a lista de requisitos para as vagas, essas me fazem rir! Muitas delas nunca serão utilizadas. Certa vez uma amiga contou que fez uma entrevista onde o inglês era a maior exigência. Logo, ela se preparou, pois certamente haveria uma entrevista para avaliar sua fluência no idioma. Para o espanto dela, nem o recrutador, nem os sócios da empresa falavam inglês ou tinham a menor condição de avaliá-la.  No fim, ela foi selecionada e até hoje nunca utilizou o inglês para realizar suas tarefas na empresa.

Cansei de ver pessoas com currículos incríveis que não tinham a menor aptidão para o trabalho que deveriam desenvolver. Já outros, sem tantas “qualificações,” que eram simplesmente excelentes no que faziam. E qual era a diferença? Eu atribuo isso ao poder no network.

Enquanto um foi recrutado a partir de um currículo carregado de MBAs, outro foi indicado por um contato que conhecia bem o trabalho, a empresa e o profissional. Quando isso acontece a chance de acerto é gigantesca e penso que é nessa lógica que o Linkedin foi criado. A ideia é muito boa!

O netwoork, no entanto é muito praticado nos negócios e vejo que é também o caminho para quem deseja iniciar uma carreira ou se recolocar no mercado de trabalho.  Aprendi isso vivendo a experiência de ser contratada a partir de um contato.

Em um jantar de confraternização de uma empresa parceira, onde havia outras empresas, conheci uma pessoa e de forma informal conversamos sobre diversos assuntos e falamos principalmente das questões profissionais. Meses mais tarde, fui procurada por ela para trabalhar na empresa que ela estava.  Pra mim foi uma super oportunidade, pois havia acabado de me formar na faculdade e estava desejosa de ingressar na minha área de atuação. Claro que aceitei!

Durante o período em que trabalhamos juntas, percebi que isso era uma habilidade dessa pessoa. Ela naturalmente era uma captadora de potenciais, vi diversas pessoas serem conectadas a oportunidades e darem muito certo.

Como isso funciona? Veja, as oportunidades estão por todos os lugares. Dessa forma não temos como dispensar ninguém em nenhuma ocasião. O que contei aqui não é exclusividade desse meu contato, todos nós somos captadores de potenciais e elos de um network poderoso.

Como contei, também fui surpreendida ao ser desligada da empresa na qual eu trabalhava, mas por já ter aprendido que o melhor caminho para uma recolocação profissional é o network recorri a ele e pasme! Um amigo que um dia eu contratei como estagiário foi quem me indicou na empresa que hoje trabalho. E aqui ele é um gerente!  Então uma pessoa que hoje é seu estagiário, amanhã pode ser um cliente em potencial ou seu chefe.  O fato é que apesar de todos os recursos tecnológicos deste século, o bom e velho network é o que salva muita gente.

Quero deixar algumas dicas que aprendi e tenho aplicado:

1-Conheça a profissão e condição atual de emprego de seu circulo social;

2-Ao conhecer uma pessoa faça a mesma coisa, pergunte sobre sua profissão, habilidades e anseios profissionais;

3-Fale sobre sua profissão, aptidões e anseios profissionais;

4-Seja observador e ligue os pontos quando houver uma oportunidade, por exemplo: Você conhece alguém que tem uma advocacia, ou trabalha nessa área e também conhece alguém que precisa desse tipo de serviço. Você é o elo de ligação entre essas pessoas.

Isso é o que muitas empresas fazem, vendem seus produtos por indicação. Neste caso você estará apenas se relacionando bem com ambos e isso reverterá em uma oportunidade no futuro.

5-Se você deseja uma oportunidade de trabalho, procure em seu circulo social e profissional pessoas que podem te indicar. Não se limite a pessoas que atuam diretamente na área que você deseja ingressar, pois o poder do network não está no óbvio, mas em ligações que você nem espera. Por exemplo: Você envia o seu currículo ou resumo profissional para uma amiga da academia, e ela por “coincidência” tem um parente que trabalha no ramo que você procura.

É evidente que essas dicas não são novas e revolucionárias, mas acredite ainda tem muita gente que está penando em busca de uma vaga de emprego quando as oportunidades estão na frente do seu nariz.

FONTE: Artigo publicado na ABRAWEB

dz

Danielle dos Santos
danielle@odiariodazoe.com.br
@danielle.dz


#Relacionamentos | Corte – O que não é a corte!

resolvidos

 

Olá pessoal, tudo bem?

Diante de alguns acontecimentos, tenho refletido sobre o que as pessoas pensam a respeito da corte e creem piamente que estão pensando ou fazendo o certo, mesmo sem ter nenhuma base para isso. Faz um tempinho que não falamos desse assunto por aqui, mas vamos retomar, para sanar as dúvidas de quem ainda não conseguiu entender como funciona.

Se você é um novo leitor por aqui, acesse a categoria de relacionamentos e veja os posts anteriores sobre a corte. 🙂

Desde que o homem caiu no Éden e foi separado do relacionamento com Deus, nós por consequência temos penado para aprender como nos relacionar com os demais e com o próprio Deus. Com a vinda de Jesus fomos reconciliados com Ele, Aleluia! Mas as antigas práticas precisam ser transformadas. Como? Cultivando o relacionamento com Ele e renovando a mente. Muitos jovens se convertem aos caminhos do Senhor, mas acabam não aplicando esses dois princípios para que tenham as antigas práticas transformadas e eventualmente são pegos em situações de conflito nessa área da vida.

A visão da corte tem muitos adeptos, alguns haters (que odeiam) e aqueles que não fazem a mínima ideia do que é. Dentro do grupo dos adeptos, temos os que tem a visão deturpada do que a corte é de fato, mas hoje vamos esclarecer isso de uma vez por todas! 😉

 

A corte não é um substituto do namoro

namoro 

O contrário do que a primeira impressão que TODOS têm sobre, a corte não é um substituto do namoro. Você pode se perguntar o porque, e eu te respondo: Porque a corte é um relacionamento com propósito e esse propósito é o casamento.

– Mas Carol, o meu namoro tem o propósito de casamento!

Muito bom! Mas 90% dos namoros não tem esse propósito e tem sido verdadeiros matadores de sonhos e destruição emocional.

Vejo adolescentes namorando – eu fui uma dessas adolescentes que namoram 5 anos, sem nenhum propósito – e penso: qual o propósito disso?!? Na maioria das vezes é só para suprirem carências afetivas, emocionais, sexuais e por aí vai, o que não é bom. 🙁

 

 

A corte não é um substituto do ficar

ficar 

Seguindo a mesma linha do namoro, a corte não é o famoso “ficar”. Não existe isso de hoje você estar em corte com uma pessoa, na semana que vem com outra e no mês que vem com outra… rsrsrsrs isso só demonstra o quanto a pessoa que está entrando em todos esses compromissos, não ora e não busca de Deus a direção e vontade d’Ele para a sua vida.

O inicio da corte não é com a outra pessoa e sim com Deus. É claro que o interesse inicia em você, pela pessoa… mas o contrário do ficar, você não avança para conhecer a pessoa e já ter intimidade com ela. No caso da corte, você ora, busca de Deus e aí sim avança em oração com a sua liderança para que siga as vias normais de falar com os lideres da pessoa e iniciarem a corte.

 

 

A corte não é definitiva

 definitiva

 

– Carol, comecei a corte… sou obrigado(a) a casar?

Não! A corte não é definitiva, é um tempo para você conhecer a pessoa, ter as convicções sobre chamado, propósito de Deus e se é essa a pessoa que você quer dividir o resto da sua vida. A visão do mundo hoje é que se não der certo, que o casal separe, mas biblicamente sabemos que o casamento não é um contrato e sim uma aliança, por isso falamos tanto sobre essa escolha, pois ela é pro resto da sua vida.

Que nesses dias você possa buscar a revelação de Deus sobre relacionamentos. Invista nisso, além dos posts, leia livros, ouça ministrações… busque informação para avançar e romper nessa área.

 

Tem dúvidas sobre a corte? Mande pra gente através do e-mail contato@odiariodazoe.com.br ou deixe um comentário. 🙂

 

 

Grande abraço,

 

 

Carol Assinatura

 

Ana Carolina Ferreira

anacarolina@odiariodazoe.com.br

@anacarolina.dz

 

 


#Relacionamentos | Corte – Cadê suas convicções ?

kiko

 

Olá gente,

Estamos meio sumidas, mas calma não abandonamos o blog!

Todos ainda estão meio chocados com os últimos acontecimentos no meio cristão ou como uns gostam de chamar “meio gospel “, e falar de relacionamento em santidade e corte é causar polêmica nas redes sociais. Muitos estão concordando com absurdos e chegam a dizer que não vale a pena esperar, mas pra onde foram as suas convicções? Quer dizer que você não acredita mais que um relacionamento em santidade e propósito pode dar certo?

Precisamos começar do começo! 

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” Romanos 3:23

Eu e você ainda somos pecadores e como qualquer um estamos sujeitos a cair em tentação, por isso oramos: Não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal!!!

1- Estamos no mundo que jaz do maligno, mas não somos daqui. Portanto apesar de estarmos no mar, não somos peixe e não precisamos viver como eles. Isso precisa estar claro na nossa mente, a nossa identidade em Cristo. Pois, quando falamos de relacionamentos em santidade, estamos falando de um estilo de vida de santidade, um caminho pelo qual aquele que está inteiramente comprometido com a obra de Deus escolhe caminhar.

2- É importante ressaltar que ter um relacionamento na visão da corte, não garante que ele é puro, santo e que Deus aprova. Sabemos muito bem que muitos não tiveram revelação do verdadeiro sentido da corte e simplesmente usam essa nomenclatura para encobrir um namoro, com todo ciúme, sentimento de posse, briguinhas e muito envolvimento carnal e emocional que são contrários ao caminho da santidade.

3- Contudo, ainda que a corte seja genuína, iniciada por duas pessoas que vivem com propósito, dependem de Deus e entendem que o casamento faz parte disso, estão sujeitos a errar e colocar tudo a perder. Por isso é necessário o apoio dos pais, amigos, velas e discipulado. Essas são as proteções para que aquilo que começou bem continue no caminho certo.

4- A corte não é garantia de um bom casamento, ela é só um caminho até ele. O casamento precisa ser construído em uma base sólida, não em emoções aguçadas, empolgação e ilusão. Mas, mesmo edificado sobre uma base forte precisa continuamente de manutenção e vistoria.

5- O bom casamento não é aquele que é perfeito como um conto de fadas, até porque todos sabem que eles não existem, são fantasias.  E aquele que se casa e pensa que viverá uma eterna paixão, está iludido. Todo bom relacionamento passa por momentos de extrema alegria e regozijo, mas também enfrenta tempestades e desertos para então ganhar experiência e fortalecimento.

 

As vezes vemos os casais comuns e famosos nas redes sociais e pensamos que eles não tem nenhum tipo de problema. Criamos uma ilusão de um relacionamento perfeito, por vermos fotos, vídeos etc, e quando uma situação difícil vem a tona, nos chocamos. Isso na verdade foi só uma expectativa frustrada por um idealismo gerado em cima de algo fora da realidade.

Só entende o que é casamento quem vive o casamento. Eu por exemplo ainda estou conhecendo, tenho só oito meses de casada e muuuuito a aprender. O fato de termos nos relacionado na corte não nos impede de discordamos um do outro, de termos atritos, de passarmos por dificuldades. Entretanto o preço que pagamos em esperar, a história que construímos até aqui e o propósito de Deus, nos faz pensar antes de falar, pedir desculpas, reconhecer o erro e fazer tudo o que for necessário para termos uma família que expressa Cristo e a igreja.

Portanto, não deixe suas convicções só porque outros erraram, use essas experiências para vencer as suas dificuldades e consolidar ainda mais suas convicções. Deixe pra trás a visão romântica do casamento, entenda que ele faz parte de um propósito por isso na dificuldade, pare, pense e reveja a maneira como ele está sendo construído!

 

Com convicção!

 

dz

 

Danielle dos Santos
danielle@odiariodazoe.com.br
@danielle.dz
www.facebook.com/odiariodazoe


#Relacionamentos | Côrte – Resolvidos para casar.

noivos ok

 

 

Olá pessoal, tudo bem?

 

Esses dias tenho tido aulas de sociologia do casamento no seminário, e claro que isso me inspirou a escrever sobre o assunto para vocês. 🙂

 

Antes de qualquer coisa, quero desmentir algo que as pessoas têm a tendência de achar. Ela pensam que quando estamos prontos para casar, estamos TOTALMENTE resolvidos em TODAS as áreas da vida, que estamos perfeitos e etc, mas se chegarmos a esta “estatura de varão perfeito”, seremos assuntos aos céus e não chegaremos ao altar (o que não é má ideia! Rsrsrs). Mas, isso não nos exime de alinharmos nossas vidas para chegarmos ao casamento mais resolvidos que hoje, ou seja, mais “inteiros”. Para facilitar, vamos dividir o assunto em tópicos:

 

 

 

chorando

Resolvendo-se Emocionalmente

 

Essa é a primeira área que precisamos nos preocupar, pois se você não está inteiro emocionalmente, quando se unir a outra pessoa, terá sérios problemas de carência, de dependência emocional, que gerarão brigas, discussões, conflitos e etc.

Quando eu entreguei meu namoro (leia mais aqui!) para o Senhor, eu entendia que aquela era a vontade d’Ele, mas confesso que agi por fé e obediência, porque eu não entendia a real necessidade de fazer aquilo. Depois que eu respondi e comecei a avançar, compreendi que o plano do Senhor era que eu dependesse apenas d’Ele. Enquanto Ele não fosse suficiente para suprir as minhas necessidades emocionais, eu nunca poderia me relacionar, pois se tornaria algo doentio. Então, após o primeiro período de desintoxicação da outra pessoa, passei a contar com Jesus para tudo! Ao invés de ligar para o namorado de noite, eu falava com Jesus. Quando eu me sentia carente e sozinha, Ele que me abraçava (literalmente! 😮 ). Nosso relacionamento cresceu demais, foi um tempo muito bom!  Porém, certo dia eu fui provada, pra ver se o meu coração estava mesmo escondido em Jesus e eu falhei! 🙁

Infelizmente, eu achei que tudo já estava OK, que eu estava prontinha pra me relacionar, que as intenções do meu coração estavam alinhadas com as de Deus, mas foi aí que eu me enganei. Após descobrir que eu ainda não estava pronta, me pus a orar e alinhar meu coração com o de Jesus. Claro que Ele foi super misericordioso e usou dessa situação pra me ensinar.

 

 

 

preocupado finan

 

Financeiramente

 

Quem é que paga as suas contas?

 

Outro aspecto que hoje as pessoas não são resolvidas é no âmbito financeiro. Nunca vi tantos jovens com nome sujo e dívidas altíssimas. Eu não me excluo disso, pois estava nesse meio! 😮

Eu tinha empréstimos, dívidas de cartão de crédito, nome sujo… E na realidade eu nem sabia pra onde ia todo o dinheiro que eu devia, porque eu não tinha muitas roupas e nem andava com coisas tão caras.

Entendo que quando servimos à Mamon, ficamos presos nele e em tudo aquilo que ele nos proporciona. Eu vivia presa em dívidas, mas nem desfrutava daquilo que eu tinha gasto.

Quando entrei na corte e fiquei noiva, o milagre de Deus em minha vida financeira foi tão grande que sinceramente, eu nem me lembro como fiz pra quitar tudo o que devia e iniciar a vida de casada apenas com algumas dívidas do casamento mesmo.

 

 

 

 

orando

 

Espiritualmente

 

Duas prerrogativas para iniciar a côrte é ser crente e ter mais de um ano de fé. Você deve ter preenchido esses requisitos, mas é importante também que seja alguém maduro, porque a côrte não é um conjunto de leis, e sim deve ser vivida por revelação e por fé. Aqueles que tentam viver a côrte sem ter intimidade com Deus, ser guiado pelo ES, sem ter uma visão espiritual das coisas poderá não chegar ao final da corte com um noivado, porque o peso da lei é muito forte.

 

Busque ao Senhor não só pra ficar resolvido e se casar, mas pra desfrutar de um relacionamento primeiro com Ele.

 

 

 

felicidade

 

Aprendendo a ser solteiro

 

“Você só estará pronto para casar, quando aprender a ser solteiro. Só pode se casar um dia, quem já foi solteiro.”

 

Essa frase acima é bem verdade, porque não tem como você se comprometer com alguém se um dia não experimentou ser solteiro. Vejo alguns casos de pessoas que nunca foram solteiras, nunca aproveitaram disso em suas vidas e sempre estavam com algum “rolo” por aí. A parte ruim disso é que quando essa pessoa casa, ela quer viver a solteirísse e me desculpe, uma vez o compromisso assumido, não tem como voltar atrás.

 

Depois que terminei o namoro, eu tive que aprender a ser solteira… A contar com os amigos, a sair e não precisar dar satisfações, a não ficar refém de alguém, a não aprisionar alguém, enfim… Foram imensas as barreiras que tive que transpor, porque eu nunca tinha vivido daquela forma, estava realmente aprendendo.

 

Se você hoje é solteiro, com certeza deve ansiar por se casar, é claro! Eu te digo que casar é muito bom, mas que o tempo de solteiro também é precioso e aqueles que não aproveitam dele, algumas vezes se arrependem. Viva cada período da sua vida intensamente, pra Jesus e com Jesus, você pode ter certeza que não vai se arrepender.

 

 

Você se “encaixa” e alguns desses aspectos que comentei acima? Decida romper em cada uma dessas áreas e se resolver para que os propósitos de Deus em sua vida se cumpram, tanto em seu tempo de solteiro como através do casamento.

 

 

 

Com encargo,

 

 

 

 

Carol Assinatura

 

 

 

 

 

 

Ana Carolina Ferreira

anacarolina@odiariodazoe.com.br

@anacarolina.dz


#Aconteceu | Casamento Rafa & Dani – O Grande Dia! <3

Image-1OK

 

Olá pessoal!

 

Os dias foram bem corridos antes e após o casamento da Dani. Estou dizendo que para uma blogueira eu fui uma ótima madrinha… rsrsrsrsrs, mas consegui gravar um pouco do que aconteceu no grande dia para mostrar à vocês. Sei que muitos estavam curiosos e ansiosos, então vamos logo ao vídeo do casamento dos sonhos:

 

 

Como puderam ver, foi tudo muito lindo e choramos litros e mais litros… creio que em breves posts a Dani contará um pouco de como foi a experiência para ela e sobre a lua de mel também! 🙂

 

Se você ainda ficou com curiosidade, pode pesquisar pela hashtag no Instagram #rafaedani021115 e confira as fotos que alguns convidados postaram no dia do casamento.

 

Não esqueçam de curtir, compartilhar o vídeo e se inscrever no canal do Diário da Zoe no Youtube.

 

 

Grande abraço!

 

 

pickerimage

 

anacarolina@odiariodazoe.com.br

Insta: @anacarolina.dz

Snap: anacarolina.dz


#Relacionamentos | Corte – Luto?

luto

Há algumas semanas recebi uma pergunta de uma leitora e logo pedi a autorização dela para compartilhar com vocês:

 

“Estive na corte durante 5 meses. Ele gostava de mim, porém não era recíproco.

Eu sempre pedia para Deus não deixar eu agir nas emoções, porque já havia me frustrado agindo assim, tanto que entrei nessa corte pedindo para que Deus colocasse sentimento, caso fosse a vontade dEle.

O tempo passou e nada mudou, via-o apenas como amigo. Em paralelo, eu estava em crise, pois estava sendo levantada como discipuladora e até pensei que essa situação fazia parte de um teste para mim, mas o sentimento não vinha. Foi então que conversei com meus pais/pastores e decidi terminar a corte.

Conversamos e ele entendeu, mas depois de tudo eu senti um vazio, algo estranho… O que eu devo fazer agora? Existe “luto” por um relacionamento logo que acaba?” – Carol, 21 anos.

 

Achei interessante trazer a dúvida da minha xará para um post porque essa, com certeza, é a pergunta de muitos.

 

É comum no mundo relacionamentos acabarem de várias formas e de a reação das pessoas serem diversas. Muitas não conseguem olhar a outra pessoa, atravessam a rua se veem a pessoa, etc. Entendemos que a corte é uma benção porque até nisso ela nos guarda. Você entra na corte com o intuito de conhecer a pessoa com uma amizade mais próxima e, se percebe que não é aquilo, pode terminar a corte tranquilamente… Sem peso na consciência, sem envolvimento físico, sem sequelas e sem estar amarrado à outra pessoa pela eternidade (calma, eternidade é força de expressão! Kkkk. sou um pouco exagerada). Costumamos dizer que a corte foi feita para acabar, acabar em amizade ou em casamento! E é exatamente isso.

 

É claro que em alguns casos de término da corte fica algum sentimento, mas, ao terminar, ambos precisam ter a convicção do que estão fazendo, se estão terminando por não ter paz para levar o relacionamento adiante, se já perceberam que o outro não é compatível, se acham que não é o tempo para se relacionarem… Há uma série de motivos para se terminar a corte.

 

Em uma conversa com o Pr. Abel Rodrigo sobre a corte, ele deu um exemplo muito bom. Ele comparou a escolha da pessoa para o casamento à escolha de um sapato. Por exemplo: nós calçamos determinado número de sapato, (no meu caso é 37) e no mundo todo não há apenas um sapato 37, há uma infinidade! Não sou a Cinderela para ter apenas um sapato que se encaixe em meu pé. O que quero dizer com isso? Que tem um tipo de pessoa que te completa, mas é um tipo, um número… Você está aí com o seu livre arbítrio para escolher o sapato, porém, dentro do seu número. Muitas pessoas acabam escolhendo sapatos que não são seus números, o que dificulta as coisas, afinal, se meu número é 37 porque vou usar 39? Ficará um tanto largo e com o tempo isso incomodará. Entende?

 

Na corte a questão do sapato é um fato. Com certeza a Carol deveria calçar um número e o rapaz com quem iniciou a corte deveria ser de outro. É maravilhoso quando conseguimos enxergar isso em tempo hábil, quando ainda tem volta, pois o casamento é aliança eterna, seja com seu número ou com números maiores/menores.

 

Diante do que a Carol nos contou, de fato a melhor decisão foi terminar a corte, pois sempre que há confusão ou dúvida é bom rever a situação e tomar uma atitude, no caso dela, terminar.

 

Agora, falando especificamente sobre o “luto”, é claro que após terminar um relacionamento sentimos um “vazio” porque apesar de não ser a pessoa do seu número, a pessoa vira sua companheira e isso faz com que sintamos falta. É o tal vazio que a Carol relatou na pergunta pra nós. É importante que o relacionamento com Deus tenha sempre a primazia em nossas vidas, pois quando acontece uma situação como esta você tem pra onde correr: os braços de Jesus.

 

Vivi uma situação diferente de término de corte, um termino de namoro, o que foi um tanto mais traumático. Mas o que me fez avançar e não olhar pra trás com carência da amizade e companheirismo que a pessoa me oferecia foi me apegar ao Senhor e caminhar com pessoas que me levavam pra mais perto do Senhor, as famosas boas companhias.

Algo que me ajudou muito também foi ocupar a minha mente com as coisas do alto. Li muitos livros, a Bíblia, foquei no crescimento da minha célula, enfim… Mudei o meu foco por entender que não era tempo para aquilo em minha vida.

 

Resumindo: não há propriamente um tempo de “luto”, mas sim um tempo pra você se readaptar sem a pessoa na sua vida colocando em pratica as dicas que dei ali em cima.

Você pode pensar: mas Carol, esse tempo de adaptação não é a mesma coisa? Não! Você entende o que é estar de luto? Pesquisei a respeito e descobri que a palavra luto vem do latim “luctus” que quer dizer dor, mágoa, lástima, desgosto… E o tempo de adaptação não tem nada a ver com mágoa, desgosto… Pelo menos na corte não, porque a decisão de terminar é sempre algo pautado por oração e direção de Deus.

Algo que muitas vezes toma conta dos pensamentos de quem termina um relacionamento é achar que não vão se relacionar tão cedo com mais ninguém. Não aceite essa mentira! As coisas com o Senhor são rápidas, só depende de nós respondermos.

 

Espero que trazer essa pergunta tenha te ajudado a esclarecer a questão do término da corte. Como falamos, ela foi feita pra acabar, seja em amizade ou casamento.

 

Você tem dúvidas também? Comente o post ou nos envie através do e-mail contato@odiariodazoe.com.br.

 

 

 

Grande abraço,

 

pickerimage

 

anacarolina@odiariodazoe.com.br

@anacarolina.dz


#Testemunho | Rosângela e Edson – Ela.

ER-116

Pela fé, Rosângela perseverou sem ter recebido a promessa e continuou sonhando, assim como José e hoje vive os sonhos de Deus.

 

Eu tive uma infância difícil, com um pai alcoólatra e complexo de rejeição. As brigas em casa eram frequentes, as agressões verbais eram diárias, sentia muito medo, desamparada. Lembro-me de noites em que nem dormia com medo do que poderia acontecer durante a noite em alguma discussão entre meus pais…

Cresci e me tornei uma adolescente rebelde, cheia de crises, feridas, que procurava a todo o custo aceitação. Cada decepção fazia com que eu construísse muros ao meu redor que impediam que as pessoas se aproximassem de mim e me tornava insensível, amargurada e vazia… Usava uma máscara que fazia com que as pessoas pensassem que tudo estava bem e o vazio que existia eu tentava suprir em baladas, relacionamentos, trabalho, estudos… Mas o vazio só aumentava.

Os sonhos já não existiam mais e aos 23 anos eu era alguém a ponto de explodir. As minhas emoções eram doentes, eu me relacionava com as pessoas interessada, apenas, no que podiam me oferecer. Parecia estar tudo bem, não havia nada de diferente e eu estava quase entrando em depressão. Eu já havia procurado Deus em coisas, em lugares errados, em pessoas, mas nunca havia encontrado algo que de fato me preenchesse.

Uma noite saí pra balada (isso era normal) e durante a noite tive que ir ao banheiro para chorar. Sentia uma angústia… Ao final da noite quando voltava pra casa me questionava: “E agora? Nada mais me satisfaz!”

Nessa época eu trabalhava no centro de São Paulo e era comum os camelôs venderem CDs piratas pela rua. Em frente ao meu trabalho havia um desses camelôs que colocava os CDs para tocar e havia um que eu gostava do Diante do Trono, “Nos braços do Pai”.

Ao pegar o trem para trabalhar, havia um vagão que chamavam de “vagão dos crentes”. Eu sempre entrava neste vagão porque ficava mais próximo das escadas da estação Brás. Eu ia reclamando todos os dias do barulho que eles faziam e eles sempre cantavam a canção e, sem perceber, o Espírito Santo já estava começando uma obra na minha vida… Havia uma moça que cantava nos braços do Pai… As canções começaram a me tocar a ponto de sentir vontade de chorar.

Certa vez, no dia seguinte do retorno de uma balada, ao acordar, pensei: Eu preciso ir à igreja! Só falta isso! Decidi que naquele dia eu faria algo e minha vida iria mudar.
Eu me vesti de crente (rsrs), coloquei um vestido bem decente e fui até a casa de uma amiga e pedi para a mãe dela me levar à igreja que ela congregava. A mãe dela me levou e ao chegar lá era um culto evangelístico onde, na apresentação de uma dança, Deus falou muito comigo. A música era Quero me Apaixonar do Diante do Trono.

Eu chorava muito e naquele dia entreguei minha vida ao Senhor. Tinha certeza de que NUNCA, NUNCA, NUNCA mais eu seria a mesma. Havia uma convicção de que eu era outra pessoa e, desde então, Cristo vive em Mim!!!

Eu não fui evangelizada de forma pessoal, ninguém falou de Jesus pra mim, ninguém me disse que Ele me amava e havia se entregado por mim, mas Deus tinha um plano na minha vida e usou de estratégias para me atrair. A verdadeira paz, alegria e satisfação só são possíveis em Jesus! Eu descobri que tinha um pai amoroso, que cuidava de mim, que me aceitava, me amava… Eu tive um encontro com Deus!!! Aleluia!

Hoje eu sou feliz porque a felicidade é uma pessoa e eu me encontrei com essa pessoa. Seu nome é Jesus.

Eu me converti em uma igreja tradicional em 2005 e logo Deus me constrangeu com seu amor e santidade. Decidi que só iria me relacionar para o casamento, rompi um namoro e Deus falou claramente comigo que só voltaria a beijar novamente o meu esposo. Cheguei a pensar que fosse loucura, mas amava tanto ao Senhor que já não me importava mais em abrir mão dos relacionamentos errados.

Um dia, a convite de uma amiga, visitei uma das células da Videira da Armênia e me senti muito acolhida e amada, mas a distância era muito grande. Eu morava em Itaquaquecetuba e a célula era na zona norte. Depois disso visitei um culto e me senti desafiada a ir para a Videira, mas o que realmente me trouxe paz e convicção nessa decisão foi a forma como os jovens se relacionavam para casamento – a corte -, um relacionamento santo e com propósito. Foi quando me achei!!!

Desde então comecei uma jornada de fé, esperança, perseverança e confiança em Deus de que aquilo que Ele havia me prometido iria se cumprir. Escolhi ser fiel ao meu cônjuge antes mesmo de conhecê-lo. Decidi me guardar por amor a Deus e por amor àquele que um dia seria meu pra sempre… Fiquei reservada! “Eu Quero! Eu Escolhi! essa é a minha Decisão!”

Recebi meu chamado pastoral em 2009 e sabia que as minhas respostas teriam que me mudar. Me tornei líder de célula, me envolvi com as coisas de Deus e não poderia me relacionar de qualquer forma e com qualquer pessoa. Deus iria me casar com um homem chamado para ser pastor.

Os anos de espera pareciam não acabar. Foram 7 anos esperando a promessa se cumprir. Durante este tempo surgiram muitos questionamentos, crises, conflitos internos. Será que valia a pena esperar por algo que parecia que não iria se concretizar? Vi muitos casamentos se realizarem e o meu sonho de ter uma família, um esposo que fosse homem de Deus, que cuidasse de mim e me amasse ia ficando mais apagado em meu coração.

Em 2010 saí da Videira Armênia e fui congregar em Itaquera. Conhecia o Edson apenas de vista, fazíamos o seminário presencial juntos, mas nunca havíamos conversado. Apenas nos cumprimentávamos e não havia interesse de nenhuma das partes. Nosso relacionamento era apenas de troca de materiais do seminário por email e esporadicamente nos falávamos no Facebook. O projeto com as micro-igrejas começou e fui enviada com uma equipe de irmãos para a micro-igreja de Itaquaquecetuba. Fiquei muito feliz, pois vi a obra de Deus avançar e conquistar a região onde eu morava.

Durante este tempo não nos vimos e nem nos falamos mais. Na conferência dos vencedores de 2012, vi o Pr. Leonardo abraçando um rapaz muito quebrantado e declarando bênçãos sobre ele. Deus falou comigo naquela hora que este homem era um homem de Deus e eu iria me relacionar com ele. Na hora não compartilhei com ninguém e achei até que fosse loucura, minha alma gritando por sonhar tanto com o casamento.

Na semana seguinte à da conferência começamos a nos falar pelo Facebook. As conversas se tornaram cada vez mais interessantes e em 15 dias estávamos conversando com nossos líderes sobre o desejo de orarmos e, se houvesse a aprovação de Deus e da liderança, nos relacionar em corte.

e-session noivos

Foi muito rápido! Nossos líderes aprovaram e começamos a orar. Uma semana depois o Ed quebrou os 2 pés… Neste período não nos falamos por telefone, foi um tempo de depender de Deus. Não nos víamos e só falávamos pelo Facebook, mas a paz e convicção cresciam a cada dia e oramos durante 7 meses até a liberação da corte já com data para a realização do casamento.

Esta foi a carta que ele leu no telefone pra mim ao declarar seu desejo em casar-se comigo: Carta!

Nossa corte teve início. Que tempo lindo e precioso! Ao olhar a história que Deus escreveu para nós chego a me emocionar! Foram momentos marcantes e a distância fazia com que cada momento fosse desfrutado com muita alegria. O Ed estava em Itaquera e eu em Itaquá, mas nunca abrimos mão de eventos ou compromissos com a igreja local para estarmos juntos, pois sabíamos que o mais importante era o chamado de Deus para nossas vidas. O propósito nos uniria.

Ficamos noivos e nos beijamos apenas no altar…foi um momento inesquecível!!!

 

ER-582

Hoje desfruto de um casamento abençoado com um homem de Deus que me leva a estar mais próximo de Jesus e amar a sua vontade. Seremos pastores e iremos cumprir o propósito de Deus. Sou muito grata ao Senhor Jesus pelo seu zelo, proteção e amor, pelo tempo de espera, pois forjou em mim princípios eternos que hoje compartilho com as jovens que, como eu, desejam se casar e obedecer a voz de Deus. Sem Ele esse testemunho não existiria. Vale a pena honrar a Deus com as nossas vidas. Ele é o autor das mais lindas histórias de amor, Ele é o amor… Permita que ele escreva a sua, Ele irá te surpreender! O Espírito Santo irá te auxiliar nas suas fraquezas e te levará a suportar os tempos de solidão e espera.

Ao meu esposo e eterno namorado, Edson Melo, quero dizer que por mais que eu sonhasse ou idealizasse um padrão perfeito de marido, ele jamais chegaria aos seus pés. Você é o meu presente, meu amigo, meu amor, meu companheiro para toda a vida. Eu o amo com todo amor que posso expressar. Te entreguei a minha vida no altar!

 

Testemunho: Rosângela Melo

Igreja: Videira Itaquera

Cidade: São Paulo/SP

 

Leia também o testemunho dele – Edson Melo.

 

Lembre-se, o testemunho edifica a igreja. Compartilhe o que Deus tem feito em sua vida também. Nos mande um e-mail: contato@odiariodazoe.com.br.

 

O Diário da Zoe.

 


#Relacionamentos | Hall da Corte – Enquanto espero… O que eu faço?

espera-no-senhor_okOK

 

Já falamos muito sobre espera, tempo certo para se relacionar e etc… Mas sabemos que muitos ainda têm dúvida do que fazer nesse período de espera, pois o mundo ao perverter os valores das coisas, prega pra nós que só aproveitaremos a vida se estivermos com alguém, o que não é verdade.

 

Confesso que eu também tinha esse pensamento e dúvidas, pois dos 15 aos 20 anos eu estava envolvida em um relacionamento (sim, foi muito tempo… Pasmem!! Kkkk) e quando me encontrei com Jesus e fui direcionada a terminar aquele namoro, pensei: E agora? O que vou fazer? Ele era meu companheiro em tudo… E todas aquelas dúvidas vieram à minha mente.

Hahahahaha… Como somos limitados, né!? E acabamos limitando o agir de Deus (só na nossa mente, é claro, porque Ele não deixa de ser Deus e soberano), óbvio que só penso isso hoje, porque no momento eu só chorava por ter aberto mão daquele relacionamento, mas cri que Deus faria algo. Aleluia, Ele fez!

 

Acredito que algumas das coisas que eu fiz em meu tempo de espera, de Hall da Corte, possam te ajudar, vamos lá?

 

 

1. Desenvolva um relacionamento com Deus

relaGodok

Sempre falamos isso pra vocês, pois o relacionamento com Deus é a base de tudo! Não há como eu me relacionar com os irmãos ou com alguém para o casamento, se não me relaciono com o Pai.

Depois que terminei o namoro eu fiquei “sozinha”, foi quando me vi em uma situação de extrema necessidade de Deus. Na verdade eu só tirei da minha vida aquilo que estava barrando meu relacionamento com Ele. Nos primeiros dias não foi fácil, mas me apeguei de fato ao Senhor e tive as mais doidas experiências com Ele em meu quarto. Conto sempre quando ministro sobre as vezes que eu dormia literalmente nos braços de Jesus e Ele me consolava. 🙂 só de lembrar já quero chorar, pois vi ali como Ele estava cuidando de mim. Como falamos no post sobre carência, fomos feitos para ter relacionamento com Deus.

 

 

2. Invista em você!

O tempo de espera é o tempo que você mais deve ser egoísta… Como assim, Carol? Isso mesmo! Seja egoísta no sentido de focar em você. Focar em seu crescimento com Deus, com seus amigos, família, nos seus estudos, na sua profissão e etc. Nesse tempo, dedique-se a leitura, a assistir filmes e séries que vão te enriquecer culturalmente, matricule-se em um curso de língua estrangeira, faça tudo o que você não poderá mais fazer quando for casado, pois como Paulo diz, o casado cuida das coisas de casado (I Co 7:33).

 

 

3. Desfrute da companhia dos amigos

friend

Outra pratica que mudei em minha vida foi em relação aos outros relacionamentos, os de amizade. Sai daquele mundinho do namoro onde só existia ele e eu, e parti para conhecer pessoas novas e até mesmo as que já estavam comigo há um tempo, mas não tive a oportunidade de conhecer de fato. Nesse tempo, ter a Dani ao meu lado (BFF *_____* ) foi fundamental pra eu experimentar coisas novas e ter sempre companhia para ir em qualquer lugar que fosse. Comecei a ir às conferências e a fazer amigos em outros lugares, amizades que perduram até hoje. 🙂

 

 

4. Invista no seu ministério

tesouro

Esse é o tempo de você buscar a Deus com relação ao seu chamado, se aplicar na célula, ser um membro do corpo que funciona.

Confesso que eu nunca avancei tão rápido no ministério como nesse tempo de espera. Me joguei de cabeça na liderança da célula, fiz eventos evangelísticos, multipliquei e como estávamos implantando a visão em nossa igreja, eu liderava a rede de jovens. Foi um tempo muito bom! A cada rede tínhamos experiências e mais experiências com o ES. Era até engraçado, pois éramos em poucos, mas mesmo assim fazíamos o louvor, a palavra e orávamos em muitas cadeiras vazias, que hoje em dia senta uma pessoa convertida. Aleluia! Seja intenso nesse tempo, lembre-se, Paulo também fala que o solteiro cuida das coisas do Senhor (I Co 7:32).

 

 

5. Ande mais perto da sua família

Siiiimmm!! A família é peça fundamental nesse tempo de espera, inclusive quando você se casar, sentirá certa falta deles, portanto, aproveite!

Como sou a única filha menina e tenho 3 irmãos mais velhos, sempre tive um bom relacionamento com meus irmãos e no tempo de espera eu pude ser mais amiga deles, fomos ao cinema, fazíamos coisas juntos e hoje continuamos com essa amizade.

 

É importante que no tempo de espera você “agilize” as coisas para o casamento, que você se resolva em algumas áreas da sua vida, assim tudo correrá mais rápido. No post Enrolados indicamos o livro “Uma vida resolvida” do Pr. Ricardo Guimarães. Esse post/livro é muito bom para detectar áreas e situações que precisam ser ajustadas.

 

Não há nenhum segredo para o que se pode ou deve fazer enquanto se espera pelo start para a corte, se você é nascido de novo e segue a dica 1, o próprio ES irá te conduzir a fazer tudo o que precisa.

 

Você tem mais alguma dúvida sobre o que fazer no tempo de espera? Deixe sua pergunta nos comentários ou nos mande um e-mail em contato@odiariodazoe.com.br. Teremos o imenso prazer em te responder. 😉

 

 

Um grande abraço,

 

 

 

pickerimage

 

 

 

 

 

anacarolina@odiariodazoe.com.br

@anacarolina.dz


#Testemunho | Mariana Loh – Casamento + Missões + Desafios.

IMG_1432

 

Pra você que acompanhou a primeira parte do testemunho da Mariana Loh, temos um pouco mais para compartilhar com você!

 

 

Lembre-se, o testemunho edifica a igreja! Compartilhe o seu conosco também através do e-mail: contato@odiariodazoe.com.br.

 

Grande abraço,

 

O Diário da Zoe.


#Relacionamentos | Corte – Como começar?

Start-Line__

 

 

O título desse post é a dúvida que permeia a mente de muita gente que já entendeu que a corte não é o substituto do namoro, que ela foi estabelecida com o propósito de conhecer a outra pessoa para o casamento, que é vivida por revelação e não leis/regras e que precisa estar alinhada com o propósito eterno de Deus.

 

No post Corte – Já posso nisso? falamos sobre os requisitos para saber se já estamos prontos para relacionar na corte. Se você já está pronto, pode partir para a parte prática! 😉

 

 

1 passo: Orar

 

 

menina_rezando

 

Hahahaha com certeza você achou que eu ia falar que era pra você avistar alguém para conversar e oficializarem a corte!?!?! Vamos com calma… Somos seres espirituais guiados pelo ES, então o primeiro passo é sim a oração. Para alguns quando falamos de oração, já pensam que queremos enrolar, deixar o tempo passar… Mas pelo contrário! A oração estabelece a conexão com Deus, que é quem te direcionará na escolha da pessoa que irá cumprir o propósito d’Ele ao seu lado pelo resto dos seus dias, então é importante consultá-lo para não perder o seu tempo em algo que Ele não é para você. O mundo banalizou o casamento e isso fez com que as pessoas, mesmo as crentes, pensem que se não der certo podem desfazer o “contrato” do casamento e partir pra outra. Quero te dizer que esse é um pensamento satânico, porque o casamento não é um contrato e sim uma aliança e alianças são eternas. Por isso a grande importância da oração, porque se você errar, o erro será para o resto da vida… Até que a morte os separe.

 

 

 

2 passo: Observar

 

tumblr_md0xw2Oxvj1ryfqeb

 

 

É importante que no tempo de oração você peça para o Senhor tirar as vendas dos seus olhos para que você possa enxergar as qualidades e defeitos das pessoas que te cercam, pois assim como falamos no post Sapo ou Príncipe, o seu príncipe/princesa pode estar do seu lado e você está julgando como sapo.

Observe os irmãos que já tem as prontos para se relacionar, assim como você. Veja se são frutíferos, intensos na obra, se trabalham e etc.

 

 

 

3 passo: Alinhe com a sua liderança

 

 

Desde que a intenção de casar surgiu em seu coração, é importante compartilhar com a sua liderança, para que você seja coberto de oração e seja instruído. Muitas vezes quando estamos dentro de uma situação, não conseguimos enxergar as causas e efeitos de forma abrangente, então é sim importante que a liderança esteja envolvida em todo o processo. Tem alguns irmãos que são super exigentes, se acham o melhor partido da igreja, mas não olham para si… E nada melhor do que um discipulado para aparar essas arestas.

Sua liderança nunca substituirá o ES, mas poderão te instruir dentro da palavra e te acompanhar nessa decisão super importante, que é com quem você irá passar o resto da sua vida.

 

 

 

4 passo: Envolva seus pais

 

 

Muitas pessoas agem conforme o mundo e acabam escondendo o processo de oração, de espera e observação de seus pais. Quero te dizer que a corte envolve sim a família, o contrário do namoro, que exclui. A família é peça chave para que o seu relacionamento avance. Seus pais não querem o seu mal, eles te amam e se não concordam com algo, é bom ponderar.

 

 

 

 

5 passo: A apresentação

 

tumblr_lp5wznp9971qf2oo3o1_500

 

 

Após todos os “sims” de Deus, dos pais, da liderança, das condições, é tempo de a sua liderança entrar em contato com a liderança da pessoa que há o interesse para que comecem a orar juntos e especificamente pelo relacionamento. Se a paz que é o árbitro em nossos corações permanecer confirmando no coração de todos para que o relacionamento prossiga, a corte é oficializada e de fato você pode começar a colocar em pratica as dicas do post o que fazer durante a corte. 😉

 

 

Lembre-se, cada um de nós é um indivíduo, portanto o que listei acima pode talvez acontecer de forma diferente com você em parte do processo ou nele todo.

 

 

Esse post foi inspirado nas perguntas do Leonardo Lopes Barbosa, da igreja Videira de Itaquera, São Paulo.

 

 

Ainda tem dúvida?

 

 

Fique a vontade para nos perguntar!

 

 

 

Um grande abraço,

 

 

pickerimage


 
1 2 3 5
 
Top