Blog sobre relacionamentos, corte e lifestyle cristão.
 
 

cristāo

#Relacionamentos | Eu – Coerência!

coerencia

Oi gente,

Estou um pouco sumida é verdade, e a culpa é minha. Tem sido muito difícil me organizar pra achar tempo de compartilhar com vocês. Por outro lado estou com o coração explodindo, com tantas coisas que quero e preciso falar.

Nos últimos tempos tenho sido tomada de uma profunda indignação, comecei a perceber que nós os cristãos, que temos uma IDENTIDADE bem resolvida (ou pelo menos deveríamos ter), somos os que menos expressam essa identidade no nosso dia a dia.  Digo isso, porque comecei a consumir muitos vídeos e nesse tempo vi que pessoas completamente sem propósito falam de suas “convicções” com tanto ímpeto e o pior acabam arrastando milhares de pessoas junto com elas. São verdadeiros influenciadores, mesmo que seja uma má influencia, estão lá totalmente ativos e expondo publicamente o que pensam a cerca de qualquer coisa.

Contudo, nós que temos propósito ficamos muitas vezes calados para não entrar em conflitos, ou termos algum problema com um familiar ou mesmo um amigo que nem compartilha da mesma fé que nós. Seguimos a risca o ditado que diz que religião, política e gosto não se discutem. O que é engraçado em tudo isso, é que nós temos que ouvir aquele colega de trabalho falar mal dos crentes, ouvir nossos familiares zombarem de nós por decidirmos nos guardar para o casamento ou não falarmos que somos contra o casamento gay, afinal esse é um assunto muito polêmico. Somos os “parciais”, os “omissos” os “sem sabor”.

Essa indignação começou a ser gerada no meu coração, e eu sinceramente estava louca para colocar a boca no trombone e falar um monte para os crentes que agem assim.  Até que algumas circunstâncias e algumas conversas me fizeram ver, que essa indignação, não era sobre os outros, mas sobre MIM mesma.

Com certeza você já ouviu falar que aquilo que mais te incomoda no outro é o que ele tem de mais parecido com você e nesses dias essa frase tem feito todo o sentido pra mim.  Graças a Deus por isso!

Bem, analisando todo esse meu conflito, cheguei a uma conclusão. Porque é que mesmo eu tendo minha identidade em Cristo, ainda estava com essa dificuldade de me posicionar “fora da igreja”, digo isso porque no meio dos irmãos, sempre somos intensos e radicais.  O problema é fora do ambiente da igreja. Descobri que o grande problema era a “coerência”. Como assim?

Coerência
substantivo feminino

1.qualidade, condição ou estado de coerente.

2.ligação, nexo ou harmonia entre dois fatos ou duas ideias; relação harmônica, conexão.

A coerência nada mais é do que a prática daquilo que nós cremos.  Talvez você esteja pensando que no meu ambiente de trabalho sou um agente secreto do reino, aqueles crentes que não se dizem crentes, para não assustar as pessoas. Não, eu não sou essa pessoa. Pelo contrário, faço questão de falar sobre isso, pois é o meu propósito de vida.  Sempre fui muito radical nesse aspecto, inclusive quando estava esperando em Deus pelo meu marido. E como mencionei, fui muitas vezes tachada de retrograda e alienada rs.

Talvez você seja essa pessoa, que não é coerente nisso e age assim quando está longe dos irmãos da igreja.

No meu caso entendi ser algo mais profundo. Deus me chamou para influenciar uma geração e muitas vezes por medo de “errar” deixei de falar e expressar as minhas convicções. E deixei de fazer isso por entender que o mais difícil na vida cristã é ser coerente.  A coerência que estou falando é a prática da palavra.  Não é difícil compartilhar uma palavra na célula, ou pregar em algum lugar para muitas pessoas. O difícil é voltar pra casa e se deparar com aquela situação que você pregou e não conseguir praticar. Por exemplo, falamos muito em submissão e na verdade não é difícil falarmos sobre isso, o difícil é ser submisso.  Falamos de unidade, o difícil é viver essa unidade na hora que o irmão não faz o que você esperava que ele fizesse. Cobramos constância das pessoas, mas nós mesmos mudamos de ideia do dia pra noite.  Assim fica difícil.

Por saber disso, é que dá medo de abrir a bocona e declaramos o que acreditamos. Isso pode até parecer bom, afinal estamos reconhecendo  que somos fracos, mas não é bem assim. Temos medo de nos posicionarmos a respeito de uma coisa e amanhã não conseguirmos  sustentar aquilo. Mas pensando nisso, é o mesmo que as pessoas fazem hoje com respeito ao casamento. Elas casam-se com a mentalidade de que existe a possibilidade de divórcio, ou seja, se você já se casa com esse pensamento, na primeira dificuldade que surgir vai correr pra essa válvula de escape. Mas e se essa opção não existir? Você terá que resolver o problema. Compreende?

Fugir do conflito não vai nos fazer crescer e eu sempre fui essa pessoa que fugia de conflitos, tinha dificuldade de falar não e infelizmente sofri muito com isso. Tenho aprendido que os conflitos são importantes e nos fazem crescer. Quando expomos nossa ideia a cerca de algo, estamos nos abrindo para a possibilidade de alguém ir contra aquilo, mas por causa disso deixaremos de falar o que pensamos? Entenda, não estou falando de briga ou discussões sem sentido. Estou falando de uma opinião consistente, como por exemplo, você crer  que Jesus é o caminho a verdade e a vida. Se alguém é contra isso, você prefere ficar calado?  Entendo que se eu me calo diante de algo assim, é sinal de que eu não creio. Por outro lado, se falo com certeza, com convicção, no mínimo farei o outro pensar sobre isso.

Estudando a vida de grandes homens e mulheres de Deus, é possível perceber que foram grandes porque declararam publicamente suas convicções e percorreram com coerência o caminho que estava proposto.

A falta de expressão da igreja se deve a nós, que somos omissos em falar e viver as verdades que cremos.

“Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado.
Romanos 14:23

“Sede praticantes da Palavra e não simplesmente ouvintes, iludindo a vós mesmos”.  Tiago 1:22

Com a mesma intensidade, rendição e amor que recebemos a Cristo e publicamente confessamos isso através do batismo, precisamos continuar a caminhada com ele.

“Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele.“ Colossenses 2:6

 

Que nossa vida possa expressar o que de fato cremos.

“Seja, porém, o teu sim, sim! E o teu não, não! O que passar disso vem do Maligno.”  Mateus 5:37

Talvez esse post tenha ficado um pouco confuso, mas era o que estava em meu coração para compartilhar. Espero que assim como eu tenho aprendido a ser coerente, Deus também te ajude a viver assim pra que juntos possamos fazer a diferença.

Quero aproveitar e indicar um testemunho muito bacana, que  tem tudo a ver com o que compartilhei aqui.

Que a graça de Deus nos ajude a sermos sal nessa terra.

dani_noiva

Danielle dos Santos
@danielle.dz
danielle@odiariodazoe.com.br


#Relacionamentos | Eu – Temperamentos.

tempeR

 

 

Olá pessoal, tudo bem?

 

Nessa série de posts que intitulamos de “EU” queremos focar a questão do Ego, dos temperamentos e como lidar com tudo isso.

Na semana passada falamos sobre a reação de pessoas contrariadas e que a chave para fluir nos relacionamentos (seja lá qual for) é CEDER.

Para os temperamentos, temos 4 classificações que são: sanguíneo, melancólico, fleumático e colérico.

É importante dizer que nenhuma pessoa se encaixa perfeitamente apenas em uma classificação, cada um tem um percentual de cada temperamento e geralmente dois sobressaem mais.

Vamos ver as qualidades e defeitos de cada um?

temp

 

Com toda certeza você já se identificou com alguma classificação ou com todas! Kkkkk…

Geralmente quando comento com as pessoas que uma das classificações que sobressaem em meu temperamento é colérico já ouço um “vishhhh…!!” ou “Nossa!”. Quero esclarecer que não existe uma classificação melhor ou pior que a outra, pois todas têm as qualidades e os defeitos. Não temos porque nos orgulhar de ter essa ou aquela classificação de temperamento.

Se você quer saber qual é o percentual que define o seu temperamento, acesse através desses links dois tipos de testes:

Ambos os testes não são tão completos, mas dá para ter uma noção do que compõe o seu perfil.

A Fabiola Melo falou um pouco sobre temperamentos nesse vídeo:

 

Agora que você já sabe se é sanguíneo, fleumático, melancólico ou colérico, quero te falar algo: Nenhuma dessas classificações define quem você é e muito menos é respaldo para agir como age!

Como assim Carol? :O

Pois bem, já te explico! 😉

Muitas pessoas usam a questão dos temperamentos para respaldar seus erros, o descontrole, as intolerâncias, a insubmissão e o velho egocentrismo. Existem aqueles que inclusive falam “Eu sou assim mesmo!” e andam segundo os desejos deles em nada ouvindo o ES.

Em Gálatas 5:22-26 vemos o que nosso temperamento e caráter devem expressar:

Entretanto, o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas virtudes não há Lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos de igual modo sob a direção do Espírito. Não nos tornemos arrogantes, provocando-nos uns aos outros e tendo inveja uns dos outros.

 (Versão King James – grifo meu! 😀 )

 

Podemos notar que no texto após serem citados os frutos do ES é falado a respeito de crucificar a carne, as paixões e os desejos, ou seja, não fazer a sua própria vontade.

Temos sempre que ter em mente que apesar do nosso temperamento o que deve sobressair em nós é o caráter de Cristo, que tem cada um dos frutos do ES citados logo acima. Antes de pensar que você é colérico, pense: Sou cristão, um pequeno Cristo, e devo expressar a Ele.

Mas como fazer isso?

Confesso que para mim não foi e não é fácil lutar contra mim mesma, pois sempre quero fazer o mais cômodo que claro, é a minha vontade. Por exemplo: O que realmente pesa em meu temperamento é a autossuficiência, não depender de ninguém, quero fazer tudo sozinha… mas a palavra de Deus me diz o que? Que devo ser dependente de Deus, assim como Jesus foi. Então eu renovo a minha mente pela palavra para ver as situações de uma perspectiva diferente (a de Deus, claro!), não cedo a minha vontade, mas consulto ao ES e me deixo ser guiada por Ele. Repito: não é fácil… mas como diz um amigo meu: Quem disse que seria fácil? Rsrsrsrsrs.

Saber qual é a classificação do seu temperamento ajuda, mas não é um guia tipo um horóscopo que diz exatamente como você é e sempre será (misericórdia se você lê horóscopo!! :O). Lembre-se que estamos em constante transformação e inclusive o seu temperamento precisa ser transformado e conduzido pelo ES.

Se você se interessou pelo assunto e quer entender mais profundamente sobre, temos duas indicações de livros que irão te ajudar!

 

Qual a combinação do seu temperamento? Compartilha com a gente nos comentários qual tem sido a sua maior dificuldade! 😉

Com amor,

 

pickerimage

 

 

 
@anacarolina.dz

anacarolina@odiariodazoe.com.br


#Relacionamentos | Ele (a) não é cristão (ã), e agora?

É comum adolescentes e jovens se envolvem com colegas na escola ou no trabalho e quando veem já estão apaixonados (as).



Continue reading

#Relacionamentos | Corte – Já posso pensar nisso?

Deus fez tudo para um tempo determinado e cremos que Deus tem sempre o melhor pra nós mesmo quando nós achamos que não.



Continue reading

#Relacionamentos| Corte – Por que é tão difícil guardar o coração?

RELACIONAMENTOS2

Oi gente!

Sempre me fiz essa pergunta: Por que é tão difícil guardar o coração? 

Você que é menina já deve ter sofrido com a famosa “síndrome da fantasia do romance repentino” (tá, o nome eu que inventei, mas você vai se identificar). Essa síndrome acontece quando você está no seu pico de carência e ao invés de se voltar pra Jesus você fica caçando assunto por aí, então alguém olha pra você de forma diferente ai começa a novela. Você já imagina uma conversa, um flerte e, é um pulo para se imaginar casando com o dono do olhar 43. Quanta fantasia!!!

De fato é verdade “mente vazia é a oficina do diabo”. O pior é que por mais ridículo que isso pareça, acontece frequentemente, as vezes numa conversa mais demorada com um colega da escola, faculdade ou trabalho, outras vezes por um comentário feito no face e Puff!! você já está apaixonada. Detalhe, na maioria das vezes você nem conhece o sujeito e não sabe nada sobre ele.

Falo com propriedade sobre isso, sofri muito com a ansiedade de saber quem era o meu “príncipe” e na ânsia de saber quem seria, ficava procurando sinais e coisas que me dessem pistas dele. Vez ou outra eu me pegava orando pedindo perdão a Deus por não ter guardado meu coração. Era algo que me deixava muito mal, afinal eu queria mesmo guardar o meu coração, mas não conseguia.

Certa vez, eu comecei a conversar demais com um rapaz da igreja. Compartilhávamos sobre a palavra era algo “aparentemente bom”, mas as conversas tornaram se cada vez mais rotineiras gerando uma necessidade de conversar todos os dias e é claro que quando vi, eu já estava envolvida e o pior ficava orando pedindo sinais a Deus para saber se ele era o “príncipe” que Deus tinha separado pra mim.  Você pode até pensar que eu estava fazendo certo, porque eu estava pedindo a direção de Deus, mas na verdade não.  Como conversávamos muito, eu já tinha feito mil fantasias sobre nós dois, ou seja, já tinha entregado o meu coração.  Sim, fácil assim. 🙁 

Acontece que quando entregamos nosso coração fica difícil discernir algo. Tudo se confunde com nossa vontade e não podemos esquecer-nos do que a palavra diz sobre o nosso coração:

“Ora, não há nada mais enganoso e irremediável do que o coração humano, e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” Jeremias 17:9

Pois é, ele é enganoso. Continuando a minha história…fiquei pedindo sinais a Deus, e tudo o que eu pedia pra Deus acontecia. Sério! Parecia ser real, eu realmente acreditava que ele era o cara. O homem de Deus com quem eu casaria e viveria o propósito do Senhor (que espiritual, não?). Até que o rapaz, do nada saiu da igreja e não era nada daquilo que eu tinha fantasiado. Sim, “FANTASIADO”, a pessoa por quem eu me apaixonei era alguém que eu tinha inventado, não era a real. Infelizmente eu sofri com isso, pois entreguei meu coração para a pessoa errada. 

Veja, em toda a história que eu estou contando, não disse que me envolvi fisicamente com o rapaz, tudo isso foi só por causa de conversas inocentes. A grande questão é que essa bobagem toda me abalou. Fiquei sem chão, fui frustrada e pra piorar ainda contei pra ele tudo o que eu pensava, contei dos sinais que Deus me deu, contei dos sonhos que eu tinha com ele. Jesus!!! Só de falar disso me envergonho. Isso mexeu com minha fé, me gerou tristeza no coração e perdi o foco da vida cristã que é estabelecer o reino de Deus. 

Quando me vi assim, entendi o que a palavra diz sobre guardar o coração:

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”. Provérbios 4:23

Sabe, percebi que podemos ter problemas na família, problemas na escola, problemas no trabalho, nas células em tudo, mas nada nos abate tanto quanto problema do coração (relacionamentos). Isso realmente rouba a vida de Deus em nós. 

Decidi a partir da experiência que tive fazer um voto com o Senhor. Então com o coração arrependido orei a Deus pedindo perdão por ter permitido isso acontecer comigo e me consagrando a esperar genuinamente em Deus. Nesse dia eu também escrevi uma carta para o meu futuro marido contando o que tinha acontecido e pedindo perdão por ter entregado meu coração a outra pessoa. Isso tudo foi verdadeiro e me ajudou muito, pois contei com a ajuda do Espirito Santo para aguardar a pessoa certa.

Essa oração foi um divisor de águas, pois uma coisa eu tinha certeza: Eu nunca mais queria ter uma experiência como aquela. Talvez você esteja pensando, “nossa, mas você nem se envolveu fisicamente e sofreu tanto assim?” Sim, sofri. Pois eu já tinha namorado antes de me converter e foi traumático e quando me converti já tinha decidido esperar em Deus, queria fazer tudo certo e acabei me frustrando novamente. 

Valeu a pena me posicionar e guardar o meu coração. Entendi o verdadeiro sentido disso e aquilo que parecia tão difícil se tornou uma prática para que eu não me ferisse.

É por isso que é tão difícil guardar o coração. Porque muitas vezes não entendemos o real sentido disso.

Passei a tomar algumas medidas como, não conversar no privado com meninos, não andar sozinha com rapazes, mesmo que a pessoa fosse meu amigãozão. E sempre que me sentia carente, eu corria pro colo de Jesus. Isso é, orar mais, jejuar mais, ler mais a bíblia, ouvir ministrações, me envolver nas coisas do reino e principalmente cuidar de outras pessoas. Foi um tempo de muita frutificação na minha célula. 

E pela graça de Deus, quando o tempo perfeito de Deus chegou eu descobri que o meu príncipe  sempre esteve perto de mim. 🙂

Se você tem sofrido por não guardar o coração, eu declaro sobre sua vida um novo tempo. Tempo de decisão e revelação do quão importante isso é, e acredite, quando for à pessoa certa tudo será alinhado. Falo por experiência, não se preocupe. Apenas creia!

Com amor, 

20140417-103021.jpg


#Relacionamentos| Corte – Eu namoro e agora?

interrogacao

Oi Pessoal!

Como estamos falando sobre relacionamentos, quero abordar aqui um tema que gera muita dúvida nos adolescentes e jovens do nosso meio que é o NAMORO.

Como vocês já leram em posts anteriores entendemos que o padrão de relacionamento para avançar em santidade e casamento com propósito é a corte.

Quando nossa igreja se associou a VINHA uma das primeiras preocupações dos jovens foi a questão do padrão de relacionamentos, principalmente para a liderança (no caso eu! 🙂 ). Eu vinha de um histórico de namoro cristão – que em alguns aspectos nada difere do namoro do mundo – que estava passando por algumas crises, mas estávamos mantendo o relacionamento, pois naquela altura do campeonato já estávamos completamente dependentes um do outro.  Começamos a avançar dentro da visão e ter revelação do propósito eterno, do padrão de santidade e Deus começou a me incomodar nesse sentido. À medida que eu tinha revelação não via mais propósito em continuar o relacionamento, pois não tinha certeza de que era com ele mesmo com quem me casaria. A ideia de que talvez eu estivesse me relacionando com o possível marido de outra pessoa me dava desespero, pois eu imaginava que estava beijando o esposo de outra pessoa e que o meu marido poderia estar por ai com outra assim como eu estava fazendo, me atormentavam. Foi então que oramos e junto com nossos pais decidimos romper o relacionamento para crescer em Deus e esperar pelo nosso cônjuge. Confesso que essa foi uma das melhores decisões que tomei, cresci em Deus e foquei no alvo que é Jesus.

Dou aqui algumas dicas para que você pule etapas neste processo:

Não tente convencê-lo (a)

Você não é o Espírito Santo, não tente convencer o outro a entrar no relacionamento de corte se não há revelação do que é.

Não construa nada sobre escombros

Para mim foi crucial haver a separação. Eu pude desfrutar de um tempo precioso com Jesus, tive as experiências mais profundas nesse tempo, pois eu não tinha mais ninguém para me apoiar, tinha somente Jesus. Uma oração que fiz quando tomamos a decisão foi que eu não queria nada velho, que mesmo que fosse ele eu queria “uma história nova e linda, escrita pelo dedo de Deus” (by Thalles).

trilho

Quebre os laços de alma

Quando nos relacionamos com alguém o envolvimento emocional é muito forte e nisso são criados os laços de alma que te prendem a outra pessoa. Quando a decisão for tomada há a necessidade de que seja quebrado todo laço de alma para que você avance e a pessoa também. Me lembro que o laço de alma foi quebrado de tal forma, que nós nem imaginávamos que nos relacionaríamos de novo e desenvolvemos uma amizade muito saudável. A possibilidade de ser ele era tão remota que eu orava desesperadamente pedindo que o “varão” estivesse em minha igreja local, pois eu não queria ir para longe dos meus pais e dos discípulos que já havia formado ali.

escrevendo

Imagem: mayaracan.blogspot.com

Não tente “fabricar” uma história

O Espírito Santo é perito em escrever novas histórias, seja com o seu atual namorado (a) ou com outra pessoa. Muitas vezes queremos insistir em um relacionamento por conta do tempo, do apego, de “n” motivos, mas não se prenda a isso, obedeça à voz do Espírito. É melhor sofrer com a separação agora do que casar-se e perceber que o fez com a pessoa errada.

solteira

Imagem: francielle-de-souza.tumblr.com

Aproveite o tempo de solteirice

Como eu estava neste relacionamento desde os 15 anos de idade, eu me prendia demais, mas quando tomamos a decisão, eu me abri para conhecer novas pessoas, participei de muitos eventos (festas, conferencias, reuniões de líderes de jovens), viajei e aproveitei tudo com muita intensidade.

Se você namora e tem tido revelação sobre o relacionamento em corte com propósito, creia que Deus tem falado com você, não hesite em obedecê-lo, pois a palavra nos diz que é melhor obedecer do que sacrificar (I Sm 15:22). Seja obediente e colha os frutos no futuro.

Compartilhe conosco o seu testemunho nos comentários ou mande um e-mail para contato@odiariodazoe.com.br.

Com amor,

pickerimage

 


Perfil de três Reis -Gene Edwards

 Perfildetrêsreis1

Este é aquele livro que faz jus ao ditado: “Não avalie um livro pela capa”, neste caso eu acrescento “Nem pela sua espessura”. O livro Perfil de três reis é um daqueles tesouros escondidos em vasos de barro, nem um pouco atraente, mas de uma preciosidade incontável.

É impressionante como o autor Gene Edwards consegue nos fazer imaginar toda uma cena se estivéssemos vendo tudo acontecer diante dos nossos olhos. No entanto isso não foi o que mais me impactou, mas a forma como ele descreve o “já” incrível Rei Davi, ainda antes de ser ungido.

Para deixar você com muita fome de ler esse livro:

Esse atirador de funda, cantor e pegureiro, era também um moço que amava ao seu Senhor. À noite, quando as ovelhas estavam dormindo, ele se deixava ficar observando o fogo que se extinguia e dedilhava a harpa, rompendo-se num concerto musical. Cantava os velhos hinos da crença dos seus antepassados. Ao cantar, caia em pranto e, enquanto chorava, a intensidade do seu louvor era tanta que atingia os montes, que ecoavam para as montanhas ao longe ainda mais altas, indo finalmente chegar aos ouvidos de Deus.

Quando não estava orando nem chorando, cuidava de cada uma de suas ovelhas e carneiros. Quando não estava ocupado com o rebanho, vibrava a funda, sua companheira, sem descanso, até conseguir acertar com precisão o alvo.

Trecho do livro: Perfil de três reis, Gene Edwards, editora Vida.

O livro ainda é um canal de cura para aqueles que estão abertos ao confronto do Espirito Santo. O livro aborda a vida do Rei Saul, Absalão e as atitudes do Rei Davi com respeito a cada um deles. Vemos porque este era chamado de “o homem segundo o coração de Deus”. E é possível enxergar o quanto temos do Rei Saul em nós e o quanto devemos aprender com o fascinante Rei Davi.

Para quem gosta de uma leitura poética, este livro é maravilhoso. Super recomendo.

Boa leitura!

Com amor,

20140417-103021.jpg

 


Com quem você tem andado?

Quase sempre encontro pessoas que afirmam ser cristãs, mas sua postura diante da sociedade não condiz com sua afirmação.
Sabemos que estamos desenvolvendo nossa salvação (falarei mais a respeito disso em outro post), mas devemos buscar caminhar segundo a revelação que já temos.

V

As vezes a resposta que Deus quer de nós é uma simples atitude de deixar de caminhar com quem não nos influência para as coisas do reino.

Com quem você tem andado?

“O que anda com os sábios ficará sábio, mas o companheiro dos tolos será destruído”. Provérbios 13:20

“Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” 2 Corintos 3:18 </>

pickerimage (1)


 
 
Top