Blog sobre relacionamentos, corte e lifestyle cristão.
 
 

#Relacionamentos | Corte – Luto?

luto

Há algumas semanas recebi uma pergunta de uma leitora e logo pedi a autorização dela para compartilhar com vocês:

 

“Estive na corte durante 5 meses. Ele gostava de mim, porém não era recíproco.

Eu sempre pedia para Deus não deixar eu agir nas emoções, porque já havia me frustrado agindo assim, tanto que entrei nessa corte pedindo para que Deus colocasse sentimento, caso fosse a vontade dEle.

O tempo passou e nada mudou, via-o apenas como amigo. Em paralelo, eu estava em crise, pois estava sendo levantada como discipuladora e até pensei que essa situação fazia parte de um teste para mim, mas o sentimento não vinha. Foi então que conversei com meus pais/pastores e decidi terminar a corte.

Conversamos e ele entendeu, mas depois de tudo eu senti um vazio, algo estranho… O que eu devo fazer agora? Existe “luto” por um relacionamento logo que acaba?” – Carol, 21 anos.

 

Achei interessante trazer a dúvida da minha xará para um post porque essa, com certeza, é a pergunta de muitos.

 

É comum no mundo relacionamentos acabarem de várias formas e de a reação das pessoas serem diversas. Muitas não conseguem olhar a outra pessoa, atravessam a rua se veem a pessoa, etc. Entendemos que a corte é uma benção porque até nisso ela nos guarda. Você entra na corte com o intuito de conhecer a pessoa com uma amizade mais próxima e, se percebe que não é aquilo, pode terminar a corte tranquilamente… Sem peso na consciência, sem envolvimento físico, sem sequelas e sem estar amarrado à outra pessoa pela eternidade (calma, eternidade é força de expressão! Kkkk. sou um pouco exagerada). Costumamos dizer que a corte foi feita para acabar, acabar em amizade ou em casamento! E é exatamente isso.

 

É claro que em alguns casos de término da corte fica algum sentimento, mas, ao terminar, ambos precisam ter a convicção do que estão fazendo, se estão terminando por não ter paz para levar o relacionamento adiante, se já perceberam que o outro não é compatível, se acham que não é o tempo para se relacionarem… Há uma série de motivos para se terminar a corte.

 

Em uma conversa com o Pr. Abel Rodrigo sobre a corte, ele deu um exemplo muito bom. Ele comparou a escolha da pessoa para o casamento à escolha de um sapato. Por exemplo: nós calçamos determinado número de sapato, (no meu caso é 37) e no mundo todo não há apenas um sapato 37, há uma infinidade! Não sou a Cinderela para ter apenas um sapato que se encaixe em meu pé. O que quero dizer com isso? Que tem um tipo de pessoa que te completa, mas é um tipo, um número… Você está aí com o seu livre arbítrio para escolher o sapato, porém, dentro do seu número. Muitas pessoas acabam escolhendo sapatos que não são seus números, o que dificulta as coisas, afinal, se meu número é 37 porque vou usar 39? Ficará um tanto largo e com o tempo isso incomodará. Entende?

 

Na corte a questão do sapato é um fato. Com certeza a Carol deveria calçar um número e o rapaz com quem iniciou a corte deveria ser de outro. É maravilhoso quando conseguimos enxergar isso em tempo hábil, quando ainda tem volta, pois o casamento é aliança eterna, seja com seu número ou com números maiores/menores.

 

Diante do que a Carol nos contou, de fato a melhor decisão foi terminar a corte, pois sempre que há confusão ou dúvida é bom rever a situação e tomar uma atitude, no caso dela, terminar.

 

Agora, falando especificamente sobre o “luto”, é claro que após terminar um relacionamento sentimos um “vazio” porque apesar de não ser a pessoa do seu número, a pessoa vira sua companheira e isso faz com que sintamos falta. É o tal vazio que a Carol relatou na pergunta pra nós. É importante que o relacionamento com Deus tenha sempre a primazia em nossas vidas, pois quando acontece uma situação como esta você tem pra onde correr: os braços de Jesus.

 

Vivi uma situação diferente de término de corte, um termino de namoro, o que foi um tanto mais traumático. Mas o que me fez avançar e não olhar pra trás com carência da amizade e companheirismo que a pessoa me oferecia foi me apegar ao Senhor e caminhar com pessoas que me levavam pra mais perto do Senhor, as famosas boas companhias.

Algo que me ajudou muito também foi ocupar a minha mente com as coisas do alto. Li muitos livros, a Bíblia, foquei no crescimento da minha célula, enfim… Mudei o meu foco por entender que não era tempo para aquilo em minha vida.

 

Resumindo: não há propriamente um tempo de “luto”, mas sim um tempo pra você se readaptar sem a pessoa na sua vida colocando em pratica as dicas que dei ali em cima.

Você pode pensar: mas Carol, esse tempo de adaptação não é a mesma coisa? Não! Você entende o que é estar de luto? Pesquisei a respeito e descobri que a palavra luto vem do latim “luctus” que quer dizer dor, mágoa, lástima, desgosto… E o tempo de adaptação não tem nada a ver com mágoa, desgosto… Pelo menos na corte não, porque a decisão de terminar é sempre algo pautado por oração e direção de Deus.

Algo que muitas vezes toma conta dos pensamentos de quem termina um relacionamento é achar que não vão se relacionar tão cedo com mais ninguém. Não aceite essa mentira! As coisas com o Senhor são rápidas, só depende de nós respondermos.

 

Espero que trazer essa pergunta tenha te ajudado a esclarecer a questão do término da corte. Como falamos, ela foi feita pra acabar, seja em amizade ou casamento.

 

Você tem dúvidas também? Comente o post ou nos envie através do e-mail contato@odiariodazoe.com.br.

 

 

 

Grande abraço,

 

pickerimage

 

anacarolina@odiariodazoe.com.br

@anacarolina.dz

25 de agosto de 2015 CorteRelacionamentos
No comments yet


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top