Blog sobre relacionamentos, corte e lifestyle cristão.
 
 

Empreendedorismo

Empreendedorismo | O Poder do Network!

network

Uma pergunta que causa medo nos iniciantes no mercado de trabalho e têm assolado profissionais com anos de experiência é: “Preciso de um emprego, por onde começar?”

Sabemos que uma das crises que afetou o país foi a crise do desemprego. Confesso que nunca tive tantos conhecidos desempregados como nos últimos anos. Até eu vivi pela primeira vez a experiência de ser “desempregada.”

O que percebi de comum em todos os desempregados dessa geração é que muitos não sabem por onde começar a procurar um emprego. São muitas as opções tecnológicas disponíveis para quem deseja uma vaga no mercado de trabalho, contudo o monstro dos requisitos necessários para uma vaga é assustador.  Para aqueles que estão começando, a inexperiência é o bloqueio. Já para os mais experientes parece que a lista de qualificações exigidas para a mesma tarefa que realizou durante anos cresceu um bocado.

É fato que existem muitas ofertas de trabalho, no entanto as empresas respondem dizendo que não existem profissionais qualificados para elas. Mas será que esses profissionais realmente não são qualificados? Ou eles não têm oportunidades de provarem essa tal qualificação?

Ainda sobre a lista de requisitos para as vagas, essas me fazem rir! Muitas delas nunca serão utilizadas. Certa vez uma amiga contou que fez uma entrevista onde o inglês era a maior exigência. Logo, ela se preparou, pois certamente haveria uma entrevista para avaliar sua fluência no idioma. Para o espanto dela, nem o recrutador, nem os sócios da empresa falavam inglês ou tinham a menor condição de avaliá-la.  No fim, ela foi selecionada e até hoje nunca utilizou o inglês para realizar suas tarefas na empresa.

Cansei de ver pessoas com currículos incríveis que não tinham a menor aptidão para o trabalho que deveriam desenvolver. Já outros, sem tantas “qualificações,” que eram simplesmente excelentes no que faziam. E qual era a diferença? Eu atribuo isso ao poder no network.

Enquanto um foi recrutado a partir de um currículo carregado de MBAs, outro foi indicado por um contato que conhecia bem o trabalho, a empresa e o profissional. Quando isso acontece a chance de acerto é gigantesca e penso que é nessa lógica que o Linkedin foi criado. A ideia é muito boa!

O netwoork, no entanto é muito praticado nos negócios e vejo que é também o caminho para quem deseja iniciar uma carreira ou se recolocar no mercado de trabalho.  Aprendi isso vivendo a experiência de ser contratada a partir de um contato.

Em um jantar de confraternização de uma empresa parceira, onde havia outras empresas, conheci uma pessoa e de forma informal conversamos sobre diversos assuntos e falamos principalmente das questões profissionais. Meses mais tarde, fui procurada por ela para trabalhar na empresa que ela estava.  Pra mim foi uma super oportunidade, pois havia acabado de me formar na faculdade e estava desejosa de ingressar na minha área de atuação. Claro que aceitei!

Durante o período em que trabalhamos juntas, percebi que isso era uma habilidade dessa pessoa. Ela naturalmente era uma captadora de potenciais, vi diversas pessoas serem conectadas a oportunidades e darem muito certo.

Como isso funciona? Veja, as oportunidades estão por todos os lugares. Dessa forma não temos como dispensar ninguém em nenhuma ocasião. O que contei aqui não é exclusividade desse meu contato, todos nós somos captadores de potenciais e elos de um network poderoso.

Como contei, também fui surpreendida ao ser desligada da empresa na qual eu trabalhava, mas por já ter aprendido que o melhor caminho para uma recolocação profissional é o network recorri a ele e pasme! Um amigo que um dia eu contratei como estagiário foi quem me indicou na empresa que hoje trabalho. E aqui ele é um gerente!  Então uma pessoa que hoje é seu estagiário, amanhã pode ser um cliente em potencial ou seu chefe.  O fato é que apesar de todos os recursos tecnológicos deste século, o bom e velho network é o que salva muita gente.

Quero deixar algumas dicas que aprendi e tenho aplicado:

1-Conheça a profissão e condição atual de emprego de seu circulo social;

2-Ao conhecer uma pessoa faça a mesma coisa, pergunte sobre sua profissão, habilidades e anseios profissionais;

3-Fale sobre sua profissão, aptidões e anseios profissionais;

4-Seja observador e ligue os pontos quando houver uma oportunidade, por exemplo: Você conhece alguém que tem uma advocacia, ou trabalha nessa área e também conhece alguém que precisa desse tipo de serviço. Você é o elo de ligação entre essas pessoas.

Isso é o que muitas empresas fazem, vendem seus produtos por indicação. Neste caso você estará apenas se relacionando bem com ambos e isso reverterá em uma oportunidade no futuro.

5-Se você deseja uma oportunidade de trabalho, procure em seu circulo social e profissional pessoas que podem te indicar. Não se limite a pessoas que atuam diretamente na área que você deseja ingressar, pois o poder do network não está no óbvio, mas em ligações que você nem espera. Por exemplo: Você envia o seu currículo ou resumo profissional para uma amiga da academia, e ela por “coincidência” tem um parente que trabalha no ramo que você procura.

É evidente que essas dicas não são novas e revolucionárias, mas acredite ainda tem muita gente que está penando em busca de uma vaga de emprego quando as oportunidades estão na frente do seu nariz.

FONTE: Artigo publicado na ABRAWEB

dz

Danielle dos Santos
danielle@odiariodazoe.com.br
@danielle.dz


#Empreendedorismo | Escola de Música Cântico Novo – Melina Ribeiro

1

 

Olá queridos leitores, meu nome é Melina Ribeiro, tenho 29 anos, sou empresária e quero compartilhar sobre um sonho que o Senhor colocou em meu coração.

Sou musicista (pessoa que trabalha com música) e muitos me perguntam: Você vive de música? E com orgulho respondo que sim! Os mais ousados perguntam: mas você trabalha com mais alguma coisa?

Infelizmente isso é consequência de uma cultura brasileira onde a classe dos profissionais do ramo musical não são bem vistos ou menos bem remunerados, levando muitos a terem uma vida noturna e uma agenda muito apertada. Essa era a minha vida, mas há cinco anos, depois de conhecer o Senhor, Ele me deu um caminho mais elevado, honroso e próspero.

Iniciei os estudos em música aos 5 anos de idade e devido a inúmeras mudanças de cidade não permaneci, mas aos 13 anos retomei e não parei mais. Cursos de canto, violão, piano, teatro e outros faziam parte da minha rotina. Cursei canto lírico no conservatório Souza Lima e depois ingressei na Faculdade Mozarteum de São Paulo em Licenciatura em música, no mesmo ano em que conheci o Senhor.

Quando me converti entrei numa crise devido ao meu trabalho pois trabalhava com músicas que não eram cristãs e não sabia o que fazer mas Deus me direcionou, cancelei contratos com empresas, recusei muitos trabalhos e oportunidades grandiosas, pois elas não honravam a Deus. Muitos me criticaram, me chamaram de careta, mas perseverei e esperei em Deus. Na época eu trabalhava em uma empresa na área de TI e quando entrei na Faculdade, ficava imaginando como seria trabalhar somente com música. Via os anúncios de emprego na área e ficava sonhando em frente aos anúncios, até que um dia o Senhor me confrontou e disse: “Até quando você vai ficar aí olhando? Quando vai mandar seu currículo?”

Eu nem sabia como montar meu currículo nessa área, tantos cursos para colocar no papel mas eu nem sabia por onde começar. O Senhor colocou em meu coração o desejo de lecionar, então selecionei poucas escolas bilíngues (tenho inglês fluente) e mandei o currículo. Em menos de um mês, eu estava saindo da área de TI e iniciando a realização de um sonho. Comecei a entender a estrutura de uma escola, aprendi muito, errei muito, mudei algumas vezes de escola e sempre carreguei boas referências e sempre de portas abertas.

Na época do meu TCC, descobri como ensinar inglês a bebês de 0 a 2 anos através da música. A experiência foi tremenda! Após esta experiência comecei a estudar mais sobre o cérebro humano e as formas de aprendizagem de adultos e crianças através de um coral que tive. Descobri o mecanismo de aprendizagem musical e como otimizar os muitos anos de estudo e desbloqueio de traumas emocionais que impedem muita gente de tocar e cantar.

Observando, pesquisando e testando todas estas teorias tive uma surpresa: deu certo! Mas o que faria com aquilo?
Quando olhei a situação do ministério de louvor da igreja que eu frequentava ficou tudo muito claro, onde eu deveria aplicar os conhecimentos.

Então, arregacei as mangas e comecei a escrever o projeto de uma escola de música onde com pouco tempo, a pessoa estaria apta a cantar ou tocar um instrumento, tendo toda a base teórica/ prática para tal, sem esquecer da unção de Deus.

Em oração, pedi ao Senhor o nome desta escola e um versículo, e o Senhor me deu:

“Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra. ” – Salmos: 96:1

4

 

Então, fui conversar com meu pastor e expliquei para ele todo o projeto, que através de 5 disciplinas e 4 horas de estudos semanais, qualquer pessoa com força de vontade e disciplina poderia aprender música. O pastor me forneceu o espaço do prédio da igreja para iniciar as aulas e fechamos os horários na parte da manhã de fim de semana. Estudamos os valores cobrados pelas escolas da região, o tempo de estudo e fechamos o projeto em Março de 2015.

Ao anunciar no púlpito sobre o projeto, a procura foi muito grande. Começamos as aulas com cerca de 25 alunos e hoje temos mais que o dobro de alunos. Ao fazer o curso dos Empreendedores do Reino, recebi um norte para a empresa e reestruturei setores, otimizei a divulgação e contratei professores. Ao abrir novas turmas, o Senhor foi dando mais alunos e ministros de Louvor cheios da vida e unção.

 

3

Os testemunhos das aulas de louvor e adoração são diversos e temos visto o planejamento pedagógico funcionando, pessoas que antes mal sabiam  tocar ou cantar uma nota, fazendo isso com muita eficiência em nosso meio.

Organizamos recitais semestralmente onde os alunos expõe seus trabalhos e são treinados ao palco e plateia, e esse recitais tem se tornado noites de adoração e salvação. Tivemos nossa primeira cantata de natal em dezembro de 2015 e foi um sucesso!

Os convites não param de chegar, pois o Senhor tem me levado a sonhar com novas unidades e mostrado muitas vidas sendo alcançadas através desta escola. É o propósito de Deus e um sonho sendo cumpridos no tempo que o Senhor estabeleceu. Os desafios tem sido muitos, mas com perseverança e fé, creio que o Senhor tem muito mais para nós!

 

 

 

 

 

pp

Melina Ribeiro

(11) 2524-5548 | (11) 95393-0183

www.escolacanticonovo.com.br

escolacanticonovo@gmail.com

facebook.com/escolademusicacanticonovo

 

 

 

 


#Empreendedorismo | Os valentes que ficam.

23893

 

Olá pessoal, tudo bem?

 

A partir de hoje vamos abrir mais uma categoria aqui no blog, vamos passar a falar sobre #Empreendedorismo! 🙂

Hoje em dia, são diversos os temas abordados dentro deste assunto, mas sabemos que em TUDO Deus tem um propósito. Muitos acham que porque não tem chamado pastoral ou para as nações, que não podem funcionar dentro da igreja e isso é um tremendo engano.

Na Vinha de São Paulo fizemos um jejum sobre finanças com o livro Prosperidade a Maneira de Deus do Pr. Wilson Oliveira. Lendo este livro tivemos a clara visão do propósito de Deus nesse sentido, pois sabemos que os recursos são de Deus.

Chega a ser engraçado como alguns irmãos oram que Deus é o dono do ouro e da prata e é claro que Ele é… mas essas mesmas pessoas pensam que Deus fará os recursos caírem nas mãos delas de forma simples, porque Ele é um Deus que move no sobrenatural. Claro que Ele também move no sobrenatural, mas como sempre falamos aqui, Deus é um Deus de relacionamentos, um Deus que não faz nada sozinho e que nos chamou como colaboradores (I Co 3:9) da sua obra e isso também inclui o sustento dela.

Este livro também nos trás o conceito de que para sustentar a obra Deus levanta aqueles são serão pastores, que vão a campo, doam as suas vidas em prol de pregar o evangelho, de plantar igrejas e etc… e os empresários, que são os irmãos que tem chamado para sustentar esses irmãos que vão a campo. O chamado para ser um empresário não exime ou invalida o chamado de todos que é de ir fazer discípulos e pregar o evangelho.

 

Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. – Mateus 28:19,20

 

Você pode dizer: Ok Carol, entendi o conceito, mas como o empresário fará tudo isso que lemos em Mateus se ele tem que trabalhar para sustentar os pastores? Nós como cristãos temos que manifestar o reino de Deus aonde estivermos, seja na reunião da célula, no prédio da igreja, na empresa, em reuniões familiares, fomos chamados para isso. O empresário é aquele que evangeliza os outros empresários, que também lidera célula, que faz os cursos na igreja, que edifica a vida dos irmãos, ou seja, funciona na vida do corpo! E ele também é aquele que usa os recursos que Deus tem colocado em suas mãos para sustentar a obra de Deus.

 

Em 2011 na II Conferência dos Vencedores, o Pastor Labieno P. Filho ministrou sobre os valentes que vão (pastores) e os valentes que ficam (empresários). Essa ministração foi tão marcante para nós que sempre comentamos a respeito dela. Ah! Nesse dia e nessa exata pregação que o Sr. Meu Esposo foi chamado ao ministério pastoral. 🙂 Foi realmente um marco!

 

 

Temos disponível na internet também a pregação com o mesmo título do Pr. Azemar Freitas, onde ele conta as suas experiências:

 

 

Se você nunca tinha ouvido falar sobre esse assunto, espero que este post tenha esclarecido ou até mesmo gerado a curiosidade de saber se você é um valente que vai ou um valente que fica. Você já sabe?

 

Acompanhe os próximos posts sobre o assunto, creio que você será tremendamente edificado!

 

 

Um grande abraço,

 

 

Carol Assinatura

 

Ana Carolina Ferreira

anacarolina@odiariodazoe.com. br

@anacarolina.dz

 


 
 
Top